5 passos para ser um bom líder à distância

líder

O mundo tem avançado de forma veloz e a pandemia do Covid-19 antecipou muitas das mudanças que ainda estavam por vir. Diante desse cenário inesperado que teve início em 2020, o home office veio como possibilidade para manter as organizações competitivas no mercado. Trouxe como desafio a necessidade de adaptação para uma liderança inovadora, que busca novos conhecimentos no mundo dos negócios, agora de forma online. 

Antes da pandemia, a maioria das empresas brasileiras atuavam de forma presencial. De acordo com o portal Uol, 51% das empresas do país não tinham nenhum setor atuando em home office. Considerando as lideranças, a situação não era muito diferente. No entanto, a experiência atual trouxe também o gosto pelo novo modo de trabalhar. A ISE Business School verificou em um estudo que 80% dos gestores disseram gostar desse novo formato de trabalho. Desse grupo, 60% dos executivos afirmam que a liderança remota contribui para melhorar sua eficiência e produtividade. 

Entretanto, na prática, exercer uma liderança efetiva diante do cenário atual não é uma tarefa fácil, pois a responsabilidade dos líderes tem sido fundamental para as organizações, principalmente no que tange à motivação da equipe mediante um contexto tão delicado. Diante disso, os líderes inevitavelmente são capazes e, até mesmo responsáveis, por estimular os colaboradores frente aos novos desafios que a pandemia trouxe para o mundo corporativo e relações de trabalho.


Saúde Mental no home office

Outro ponto chave é que, segundo um estudo realizado pelo Fórum Econômico Mundial, mostrou que 98% dos participantes da pesquisa gostariam de continuar trabalhando remotamente, ou pelo menos no regime híbrido. Esse estudo reforça o argumento sobre o desenvolvimento da liderança remota efetiva, realçando a necessidade dos líderes elaborarem estratégias para desenvolverem sua equipe, mesmo em um momento em que os colaboradores estão mais suscetíveis ao adoecimento mental.

Portanto, cabe aos líderes terem uma melhor compreensão de quem são os profissionais que compõem suas equipes e se preparar para esse novo formato à distância, identificando e  desenvolvendo-se nas habilidades que se fazem imprescindíveis para esse exercício. 



Como ser um bom líder a distância?

1º passo: Fortaleça a confiança entre a equipe

Com a dificuldade e até mesmo empecilhos de contato pessoal, torna-se essencial que o líder tenha sempre a clareza de que é necessário fortalecer a confiança entre o time e criar um ambiente, ainda que por meio das telas, favorável ao trabalho para que o sentimento da distância não fique tão evidente. 

Ao passar segurança para a equipe, o líder ajuda o time a persistir no alcance dos resultados e ir até o fim dos tempos incertos. Dessa forma, comunicação transparente, motivação e feedback são três elementos fundamentais da liderança remota para alinhar expectativas e manter a confiança entre o grupo. 

 

2º passo: Preocupe-se com as condições do ambiente de trabalho

O “novo normal” tornou nossas próprias casas um escritório e é sabido que o ambiente de trabalho possui relação direta com a produtividade e processos de criação. Quando pensamos em trabalho presencial, entendemos que no período seletivo é verificado com o candidato se ele dispõe das condições necessárias para um bom desempenho. Já no modelo home office, principalmente no contexto atual, isso não foi possível. 

É importante que o líder (e a empresa) tenha conhecimento a respeito das condições do ambiente físico em que a equipe está submetida, oferecendo o máximo de subsídios possíveis para que o trabalho continue fluindo bem.

Além disso, visto que um bom líder é aquele que tem a capacidade de influenciar pessoas, é importante que seu próprio home office seja organizado e, se possível, em um lugar separado da moradia, para estimular a equipe a fazer o mesmo. Um ambiente de trabalho adequado ajuda no desempenho e no planejamento dos colaboradores e isso facilitará a separação dos momentos de trabalho e de descanso, reduzindo sinais de fadiga e esgotamento mental e físico.

 

3º passo: Seja compreensivo e flexível

O fato de trabalhar em casa acarreta, muitas vezes, a mistura da vida pessoal com profissional, ainda que seja possível separar um ambiente específico da casa para executar o trabalho. Por exemplo, muitas mulheres que possuem filhos pequenos, diante do isolamento social, estão sendo mães e profissionais em tempo simultâneo. Portanto, é preciso que o líder compreenda que nem sempre a rotina profissional será mantida e algumas demandas pessoais podem interferir no dia a dia. 

Assim, é fundamental que o líder tenha flexibilidade com as necessidades da equipe e seja tolerante diante de algumas situações, sendo um facilitador nesse processo de adaptação entre aspectos pessoais e o novo formato de trabalho.

4º passo: Seja otimista e estabeleça metas possíveis

É evidente que a pandemia nos colocou em um cenário de muita incerteza e insegurança, e nesse sentido é importante que o líder tenha uma postura próxima e positiva, passando entusiasmo, credibilidade e tranquilidade nesse momento. Entretanto, mesmo que o ânimo da equipe seja um dos pontos-chave para alavancar resultados nesse momento delicado, faz-se necessária a atenção para dois aspectos: não cobrar demais para não sobrecarregar a equipe e manter a responsabilidade de não dar falsas esperanças aos liderados, deixando-os a par sobre a estabilidade da empresa diante do contexto atual.

Portanto, para manter a equipe motivada, é importante que ela continue sempre ciente do que está acontecendo e do que os líderes estão planejando. Por isso, é crucial que o líder estabeleça metas para sua equipe que sejam atingíveis e tangíveis, pois tentar manter o ritmo de crescimento sob pressão pode, além de não trazer resultados relevantes, levar os colaboradores ao adoecimento mental.

 

5º passo: Seja participativo e busque feedbacks sobre sua gestão

Mesmo que de forma remota, manter o contato com a equipe por meio de reuniões é algo que precisa ser intensificado. Nesses momentos, esteja disponível às

dúvidas de sua equipe, busque a opinião e provoque a participação dos mesmos sobre diversos assuntos, não abordando somente aspectos da organização. Tente trazer mais leveza e bom humor para os momentos compartilhados e incentive o compartilhamento do dia a dia vivido de forma distante. 


Ao longo do texto, entendemos que a liderança remota e compreensiva é uma prática fundamental para manter o equilíbrio profissional e mental dos colaboradores da empresa, além da eficácia dos resultados. Por isso, adapte-se, prepare-se, conte com o auxílio da tecnologia e de ferramentas psicológicas para encurtar as distâncias. Conhecer a equipe e encontrar pessoas para alcançarem os objetivos propostos, ainda que em formato de teletrabalho ou home office, é essencial. Através das soluções MAPA, os líderes encontram um grande aliado para identificar, mapear e desenvolver estratégias que possibilitem um conhecimento amplo da equipe e formas de intervenção, facilitando, assim, o desempenho dos liderados e, consequentemente, potencializando resultados em um momento atípico e difícil, mas também transformador. 

Camila Baroni

Especialista MAPA

Compartilhe:

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

Categorias

Leia em primeira mão

Assine nossa Newsletter

Receba nossas novidades em sua caixa de email. Não enviamos span.

Últimos Artigos
Transformação Digital

Transformação Digital

Não é novidade que as ferramentas digitais influenciam e moldam a maneira como nós vivemos, nos comunicamos e trabalhamos, gerando grandes e diversas mudanças em