fbpx

Como selecionar um teste de personalidade

Qual é o seu objetivo com o teste de personalidade? Você precisa avaliar para recrutar e selecionar talentos para a sua empresa? O objetivo é ver se a pessoa tem alguma ponto técnico para assumir um cargo?

Seja qual for a resposta, o teste de personalidade MAPA pode te ajudar. O nosso método tem como meta avaliar a personalidade a partir de uma análise ampla de traços conforme o contexto. 

Trata-se de uma amostra 100% feita no Brasil para se adequar à realidade cultural, social e econômica do país.  Vale dizer que o teste também possui respaldo do Conselho Federal de Psicologia (CFP). Isso com cinco estudos de validade e dois de precisão para avaliação de risco. 

Além disso, foi pensado como uma bateria fatorial de avaliação da personalidade. A princípio, ele leva em conta uma escala de autorrelato. Quer saber mais? Fale com a gente!

O que é um teste de personalidade

Os testes têm como ideia perceber traços inatos e adquiridos de uma pessoa. A exemplo, o temperamento e o modo como ela se comporta. Eles fazem parte da Avaliação Psicológica e buscam destacar as características, formas de ser, pensar e agir no mundo. Isso de acordo com as mais variadas situações e contexto.

Além de serem muito úteis quando a empresa deseja realizar uma seleção, os testes podem ser usados para reter talentos. Da mesma forma, para orientar a empresa quando for preciso agir com mudanças. Eles também podem variar muito na forma como são feitos. Além do mais, impactam na viabilidade do uso e na relevância do resultado para o aplicador. 

Trouxemos aqui os principais pontos dos testes que vão guiar a escolha do instrumento mais preciso para o objetivo final. Embora os testes de personalidade, por definição, procurem avaliar a personalidade de uma pessoa, eles se diferenciam. Essas distinções são essenciais no momento da escolha do teste.

Para escolher o melhor para seus objetivos, é preciso entender o contexto de aplicação, ou seja, o objetivo final. Por sua vez, ele pode ser voltado para: recrutamento e seleção, clínico, desenvolvimento profissional ou outros. 

Teoria da Personalidade

O primeiro ponto que difere os testes está contido na base teórica científica. Ou seja, o teste de personalidade irá avaliar os traços conforme a teoria concebe sua formação. A base teórica do teste MAPA é a Teoria Interacionista da Personalidade. Ela diz que o contexto também influencia na forma como a personalidade se apresenta e se altera ao longo da história de vida do sujeito.

Contexto: onde, quando, como, por quê?

O segundo ponto é o contexto de uso. A maioria dos testes tem uma visão clínica em comparação com a população geral. Sendo que a sua interpretação se baseia nessas referências. Portanto, para entender como esse resultado se relaciona com o contexto de trabalho, exige-se do profissional um grande domínio técnico do teste. Da mesma forma, um conhecimento profundo da atividade de trabalho.

O MAPA é construído e validado no contexto de trabalho. Assim sendo, leva em conta o impacto das características de personalidade contextualizadas no trabalho.

Aplicação e correção

O método de aplicação e correção possui grande peso para a viabilidade da aplicação de um teste de personalidade específico. 

Testes que analisam grafias e traçados, por exemplo, possuem métodos rígidos com relação ao material de uso (lápis e folhas). Além disso, têm instruções. Alguns devem ser aplicados de forma presencial, e sua correção é  complexa.

Antes de escolher os instrumentos, vale entender que é preciso um psicólogo experiente para realizar a aplicação efetiva e correta. 

Já testes que possuem aplicação online e correção informatizada podem ser interessantes. Isso porque eliminam a chance de erros de correção e de análise. Da mesma forma como encurtam o tempo para obtenção do resultado.

Regulamentação do Conselho Federal de Psicologia

O último ponto é de ordem legislativa. Uma vez que personalidade é uma dimensão do domínio psicológico, os testes e os psicólogos estão sujeitos à regulamentação do Conselho Federal de Psicologia. Ele diz se os testes são ou não favoráveis para uso e se podem ser usados por psicólogos.

Dessa forma, se o objetivo é ter não psicólogos responsáveis, é preciso buscar ferramentas que não são de uso somente da profissão. Mas se o profissional for um psicólogo, vale entender quais são os materiais permitidos pelo Conselho. Isso porque testes com parecer desfavorável possuem o uso vetado a psicólogos. Além do mais, o uso indevido é uma falha ética.

A escolha de como avaliar a personalidade pode se apresentar como um desafio. Além disso, uma escolha ruim pode influenciar todo um processo e causar a invalidação do resultado.  Sabendo disso, é possível realizar uma escolha mais eficaz, que originará um resultado relevante de forma mais eficiente.

Caso ainda tenha ficado com dúvida sobre como escolher um teste de personalidade, entre em contato conosco. A MAPA possui mais de 35 anos de história na arte de entender pessoas por meio de ciência e de dados. Isso tanto no campo psicossocial, quanto no cultural e no histórico. 

Por fim, por meio de um método completo, a sua empresa estará pronta para entender os colaboradores. E, assim, ser mais assertiva nos processos de RH!

Mariana Cabral

Compartilhe:

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Leia em primeira mão

Assine nossa Newsletter

Receba nossas novidades em sua caixa de email. Não enviamos span.

Artigos Relacionados