O papel do RH na Segurança do Trabalho

segurança do trabalho

O mundo do trabalho vem passando por grandes transformações ao longo dos anos. As práticas e debates em torno da Saúde e Segurança dos colaboradores vem fortalecendo as iniciativas de prevenção e melhores práticas no cuidado dos funcionários dentro das organizações, sejam elas públicas ou privadas. Mas qual é o papel do RH na Segurança do Trabalho?

Mais do que uma obrigatoriedade, a segurança dos colaboradores é algo que melhora consideravelmente a imagem e agrega valor à empresa. E para fazer valer tais ações, o setor de RH tem um papel determinante, pois a segurança dos colaboradores é primordial para o funcionamento de qualquer organização, independente do porte ou segmento. Portanto é imprescindível valorizá-los, garantir seu bem-estar, sua integridade física e emocional.

 

O que é Segurança do Trabalho?

A Segurança do Trabalho é o conjunto de medidas adotadas para minimizar os acidentes de trabalho e as doenças ocupacionais, bem como proteger a integridade e a capacidade de trabalho do funcionário.

O Ministério da Previdência Social divulgou dados que comprovam que a saúde do trabalhador brasileiro necessita de maior atenção e cuidado. Foram registrados mais de 720 mil casos de acidentes e doenças do trabalho em um ano, entre os profissionais segurados da Previdência. Além disso, foi constatada uma morte a cada 3h e 40min, motivada pelo risco decorrente dos fatores ambientais do trabalho e quase 80 acidentes e doenças de trabalhos reconhecidos por hora de trabalho.

Segundo dados do Observatório Digital de Segurança e Saúde do Trabalho, entre 2012 e 2018, as indústrias e empresas brasileiras registraram 17.200 falecimentos decorrentes do trabalho. Para além dos impactos principais e graves danos causados à vida e à integridade de trabalhadores, os acidentes de trabalho também trazem outras consequências. De acordo com o Observatório, 351 milhões de dias de trabalho foram “perdidos” no período estudado, em razão dos afastamentos. Os gastos estimados neste mesmo intervalo chegaram a mais de R$ 82 bilhões.

O mapeamento dos riscos e a prevenção de acidentes numa empresa reforçam não somente a saúde dos funcionários, mas de toda a instituição. Trabalhadores saudáveis produzem de forma mais eficaz, originando um ambiente igualmente salutar e produtivo. Dessa forma, as ações preventivas e de conscientização devem ser pensadas como investimentos para se garantir o melhor desempenho dos colaboradores e consequentemente da cadeia produtiva como um todo.

Tendo em vista esse cuidado com o colaborador, as Normas Regulamentadoras (NR) foram criadas pelo Ministério do Trabalho e consistem em obrigações a serem cumpridas pelos trabalhadores e empregadores para garantir um trabalho “seguro e sadio, prevenindo a ocorrência de doenças e acidentes de trabalho”.

As NR’s procuram abranger os principais aspectos que impactam a atividade e regulamentam desde o uso de Equipamentos de Proteção Individual (EPI), os procedimentos de atividades específicas, até o processo de avaliação psicossocial obrigatória.

Qual o papel do RH em relação a Segurança do Trabalho?

A responsabilidade com a saúde e segurança vem se tornando uma tendência na gestão estratégica das empresas de todo o mundo, deixando de ser uma questão de cuidado pessoal e de responsabilidade do indivíduo apenas. Evidentemente, quando o capital humano apresenta taxas de adoecimento significativas, o reflexo será sentido no dia a dia da empresa, pois o adoecimento dos colaboradores ou envolvimento em acidentes geram absenteísmos, afastamentos, custos com novas contratações e turnover. Questões que são de extrema importância para o setor de Recursos Humanos de uma empresa.

O setor de Recursos Humanos é o responsável por gerenciar as pessoas dentro das organizações e por todos os aspectos que correspondem às ações inerentes à essa gestão como por exemplo a atração e seleção de pessoas, retenção de talentos, coordenação, desenvolvimento e treinamento dos profissionais. Assim, também deve planejar, levantar informações, analisar, ouvir e se comunicar com eficiência tanto com a diretoria, quanto com os funcionários.

Dessa forma, o RH precisa obter uma visão estratégica da empresa, visando identificar as necessidades de cada grupo, atuando como intermediador entre estes dois níveis da organização. O que permite fazer uma gestão estratégica, humanizada e ágil das pessoas e dos recursos, e isso inclui,  imprescindivelmente, considerar e atuar para a implantação de medidas que visem a saúde integral do trabalhador.

[Ebook] Desafios do RH em 2021

Implementar a cultura de prevenção

O RH também tem como função fomentar a cultura organizacional dentro da empresa, assim, torna-se imprescindível a implementação de uma cultura de prevenção no local de trabalho. A antecipação do risco é a primeira etapa fundamental para a sua gestão eficaz e para a construção de uma cultura de prevenção em matéria de Saúde e Segurança do Trabalho num mundo em constante mudança. Assim, ressalta-se a importância da formação dos trabalhadores sobre os riscos e perigos emergentes no local de trabalho.

Empresas comprometidas se empenham em engajar também seus colaboradores e instaurar uma forte cultura de prevenção e boas práticas. Sem tal senso de urgência e responsabilidade não é possível criar um planejamento adequado nem consolidar ambientes de trabalho verdadeiramente seguros, portanto, todos são responsáveis por todos.

Recomendamos que treinamentos e informações sejam estendidos a todos os colaboradores.  As determinações devem ser amplamente divulgadas e cabe ao RH fazer com que sejam cumpridas à risca, adotando medidas de fiscalização e supervisão junto aos gestores. Avaliações periódicas também são sempre bem-vindas, pois ajudam a detectar pontos ainda vulneráveis.

 

A Tecnologia como aliada do RH nas estratégias de Prevenção de Acidentes

Por atuar de maneira estratégica, o RH tem grande responsabilidade nas tomadas de decisões da empresa. No entanto, com as ferramentas corretas, ele consegue facilmente ter acesso a dados e relatórios personalizados que podem auxiliar nas decisões importantes.

Diante da necessidade de entender pessoas e elaborar estratégias através de ciência e dados, a MAPA aborda questões que podem ser utilizadas de forma a relacionar os dados internos da organização aos indicadores e às dimensões avaliadas, de forma a visualizar não somente os fatores de risco para aquele contexto e setor, mas também quais as características que funcionam como fatores protetivos. Além disso, são verificadas estratégias de enfrentamento, que permitem aos colaboradores lidar com as adversidades do trabalho e se proteger da exposição ao risco. Saiba mais sobre Segurança e Prevenção de Acidentes Aqui.

A tecnologia e os dispositivos inteligentes portáteis também podem auxiliar na segurança e saúde, por exemplo, permitindo que os gestores de segurança monitorem comportamentos e comuniquem conselhos e informações de segurança e saúde aos trabalhadores em tempo real. Atualmente, existem tecnologias capazes de monitorar a fadiga e sonolência dos trabalhadores, detectar quedas e analisar a qualidade do ar.

As novas tecnologias também criam oportunidades de difusão de conhecimentos e aprimoramento das competências e formação dos trabalhadores em matéria de Saúde e Segurança do Trabalho, por exemplo, através de aplicações de segurança e saúde, programas de formação online, recurso à realidade virtual e à realidade aumentada para dinamizar as formações e possibilitar vivências e experiências para elaborar efetivos planos de ação e prevenção.

 

Conclusão

Os acidentes de trabalho e as doenças profissionais afetam significativamente os trabalhadores e as suas famílias, não só a nível econômico, mas também a nível do seu bem-estar físico e emocional, no curto e no longo prazo.

Além disso, podem ter grandes repercussões sobre as empresas, afetando a sua produtividade, desencadeando potenciais perturbações nos processos de produção, prejudicando a sua competitividade e reputação nas cadeias de abastecimento e, de um modo mais generalizado, afetando a economia e sociedade. Sendo assim, uma concepção mais saudável do trabalho, a promoção da saúde e a adoção de melhores práticas organizacionais são ações efetivas que podem contribuir com a segurança, a saúde e o bem-estar dos trabalhadores e das organizações.


Referências:

AGÊNCIA BRASIL
<https://agenciabrasil.ebc.com.br/saude/noticia/2019-04/cada-3-horas-e-40-minutos-uma-pessoa-morre-por-acidente-de-trabalho>

ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE MEDICINA DO TRABALHO
<https://www.anamt.org.br/portal/2019/05/03/a-cada-3h40-um-morre-por-acidente-de-trabalho-no-brasil/>

MAPA
<https://mapaavaliacoes.com.br/blog/>

Bureau Internacional do Trabalho: Segurança e Saúde no Centro do Futuro do Trabalho, 82p. 2019. 

Fabiana Alves

Psicóloga e Analista Técnica na MAPA

Compartilhe:

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

Categorias

Leia em primeira mão

Assine nossa Newsletter

Receba nossas novidades em sua caixa de email. Não enviamos span.

Últimos Artigos
Transformação Digital

Transformação Digital

Não é novidade que as ferramentas digitais influenciam e moldam a maneira como nós vivemos, nos comunicamos e trabalhamos, gerando grandes e diversas mudanças em