fbpx

Otimismo preserva saúde emocional e segurança no trabalho

Por muito tempo, o otimismo esteve ligado à noção de ingenuidade e negação da realidade. Porém, estudos vêm mostrando a importância desse construto para alcançar resultados em diversas áreas da vida. Por exemplo, segurança no trabalho, educação, saúde física e emocional.

O que é otimismo?

O otimismo é a disposição para ver as coisas pelo lado bom e esperar sempre uma solução favorável, mesmo nas situações mais difíceis.

Ao adotar uma postura de otimismo frente a si mesmo e ao mundo, as pessoas geram bem-estar para si mesmas e para aqueles que as rodeiam. Além disso, elas costumam ver também o lado positivo de tudo ao invés de se prenderem aos aspectos ruins.

Resgatar o melhor de si mesmo, dos outros e de todas as situações é o resultado de uma escolha. O otimista não é um pessimista desinformado. Mas alguém que escolheu focar no lado positivo das coisas. Isso sem deixar de lado a existência do lado negativo.

Otimismo na segurança no trabalho

O otimismo é um aliado daqueles que querem alcançar um objetivo. Com ele, muitas pessoas conseguem contornar problemas que seriam “impossíveis” para outras pessoas.

Além disso, ser uma pessoa otimista pode:

  • contagiar os seus colegas de trabalho, que andam um pouco de baixo astral, com medo de enfrentar problemas ou se expondo ao risco;
  • aumentar o seu rendimento;
  • aumentar as chances de cumprir suas tarefas.

Nesse sentido, auxilia na segurança no trabalho.

Mas como isso gera impacto nas empresas? 

Os processos de recrutamento e seleção são um conjunto de técnicas que visam atrair pessoas capazes de ocupar cargos dentro da empresa. Entretanto, algo que tende a ser menosprezado refere-se à adoção de modelos e estratégias de gestão de pessoas que sejam capazes de:

  • favorecer e estimular a liberdade;
  • a criatividade;
  • a flexibilidade;
  • o otimismo;
  • a inovação da equipe.

Somando-se a isso, alguns autores mostram que pessoas com essa energia têm mais qualidade de soluções e opções para os problemas do que os seus pares. Da mesma forma, as pessoas que possuem expectativas positivas tendem a persistir. Tornando-se mais abertos a mudanças e ao desenvolvimento como um todo.

Assim, a persistência, o foco em resultado e a inovação são pontos fortes no processo de seleção de pessoas. Esses pontos podem ser vistos em pessoas otimistas perante a vida.

Pesquisas

Em pesquisa feita com profissionais do setor de vendas, os resultados mostraram que as pessoas com maiores níveis de otimismo vendem 37% mais do que as com menores índices. Além disso, essas pessoas têm maiores níveis de satisfação no ambiente de trabalho. 

Isso indica que as empresas possuem a chance de orientar sua equipe para adotar uma atitude e postura mais otimista. Isso pode ser feito através de estratégias de ação do RH.

A exemplo, podemos citar:

  • Programas de T&D;
  • Entrevistas de acompanhamento;
  • Avaliações de desempenho;
  • Prática regular de feedbacks. 

Otimismo na saúde física, mental e segurança no trabalho

O pensamento positivo libera serotonina e dopamina, ligados à sensação de prazer e bem-estar. De alguma forma, ajuda a resolver situações difíceis. Na verdade, funciona como uma droga que age no cérebro. 

Em outras palavras, o otimismo gera mais saúde, porque a pessoa consegue antever os benefícios. Afinal, ele diminui os hormônios de estresse. A nossa maneira de lidar com a realidade vai impactar nas nossas escolhas em curto prazo e na saúde em longo prazo.

Otimismo como prevenção

O otimismo atua também como foco de prevenção. Isso pois leva o sujeito a desenvolver aspectos positivos, como a biofilia, resiliência e vitalidade emocional. Isso contribui para a ausência de sinais depressivos, por exemplo. Assim, promove o bem-estar geral.

Assim, funciona como um fator que atua na proteção da saúde e na recuperação de diversas situações de adoecimento e eventos críticos. Garantindo, ainda, a segurança no trabalho.

As pessoas otimistas lidam de forma mais adaptativa com as adversidades. Dessa forma, possuem uma capacidade maior de recuperar o equilíbrio após enfrentar acontecimentos críticos ou fora do comum. 

Ainda, o otimista não nega a crise, mas acredita que ela é passageira. Isso influencia a promoção do autocuidado, a adesão de hábitos e comportamentos saudáveis. E, ainda, a respostas mais adaptativas ao lidarem com condições ambientais e sociais adversas.

Os efeitos negativos do pessimismo

Diante da vida, é mais fácil ser pessimista. Ninguém escapa da dor ou da frustração e renegá-la ajuda a justificar a inércia e o conformismo. As pessoas otimistas, por outro lado, assumem o desafio de fazer, crescer e melhorar. 

Evidências indicam que o pessimismo está ligado a um menor nível de bem-estar diante da presença de estressores. Além disso, à baixa persistência em diferentes tipos de adversidades. O que implica em uma baixa disposição para ser proativo. A visão negativa de tudo também traz expectativas ruins. Dessa forma, o sujeito torna-se mais vulnerável a situações de ameaça ou perda.

Outras consequências de uma postura pessimista são:

  • Tendência a estados depressivos e;
  • Uso de álcool;
  • Maior frequência na interrupção de atividades sociais;
  • Pouca vitalidade no que se refere à alegria perante a vida.

Além disso, tende a não cultivar sonhos para o futuro. Logo, diminuem as práticas de autocuidado, prevenção com a saúde, segurança no trabalho. Por fim, têm pouca disposição para manter hábitos saudáveis.

Conclusão

Voltar o olhar para práticas de positividade e esperança traz benefícios para a saúde emocional, física e social dos sujeitos. Portanto, as empresas possuem a chance de contribuir para uma postura mais otimista  em relação aos processos e interações do time. Assim, entende que isso irá impactar no desenvolvimento da equipe. Por fim, da empresa como um todo.

Conhecemos os principais desafios da área de RH. Por isso, temos Soluções MAPA. Elas, por exemplo, auxiliam nas tomadas de decisões. O teste de personalidade MAPA, aprovado pelo CFP, ajuda as empresas em diversos quesitos, como:

  • cultura organizacional;
  • segurança no trabalho;
  • saúde emocional e muito mais.

Por fim, converse agora mesmo com a nossa equipe!

Fabiana Alves

Psicóloga e Analista Técnica na MAPA

Compartilhe:

Leia em primeira mão

Assine nossa Newsletter

Receba nossas novidades em sua caixa de email. Não enviamos span.

Artigos Relacionados