fbpx

Saúde Emocional: quais seus impactos?

O termo Saúde Emocional, embora bem usado em diversos meios, incluindo sites oficiais e pesquisas, ainda é carente de definição oficial. Por vezes complementa a saúde mental e física, sua baseando-se em um equilíbrio, um bem-estar.

Tal visão se parece com a definição de saúde que pode ser vista na OMS. No documento, consta o seguinte: “A saúde é um estado de completo bem-estar físico, mental e social, e não apenas a ausência de doença.”

Além disso, no site oficial da APA, há um setor sobre o assunto. Embora não tenha uma definição do termo, descreve os impactos que ela causa na vida das pessoas:

Ela pode levar ao sucesso no trabalho, relacionamentos e saúde. No passado, os pesquisadores acreditavam que o sucesso deixava as pessoas felizes. Pesquisas mais recentes revelam que é o contrário. É mais provável que pessoas felizes trabalhem em direção a metas, encontrem os recursos de que precisam e atraiam os outros com sua energia e otimismo – os principais alicerces do sucesso.

Aqui, entende-se saúde emocional como um bem-estar geral e sua avaliação não se reduz apenas a aspectos como ansiedade e estresse. Pelo contrário, ela também diz respeito a uma análise dos fatores protetivos e de risco que podem afetar em menor ou maior grau a vida de uma pessoa.

Esses fatores são chamados de psicossociais e estão presentes em todos os âmbitos da vida do sujeito. Eles podem ser fruto, por exemplo, do trabalho, da família, das relações sociais e de suas características pessoais.

A saúde emocional no trabalho

Quando a saúde emocional se encontra sob ameaça, ela pode vir através de consequências diretas na capacidade de produção no aumento de taxas de turnover. Dessa forma, vale a pena avaliar taxas de estresse e ansiedade dentro de um contexto.  Ou seja, com o intuito de avaliar os motivos pelos quais esses aspectos possam estar alterados em uma pessoa. Assim, é possível obter informações chave para a promoção de medidas preventivas.

A avaliação das características pessoais nos permite analisar pontos de vulnerabilidade, por exemplo. Também é possível perceber os seus pontos de força e possíveis ações de suporte para lidar com os obstáculos na vida diária.

Já os fatores psicossociais irão nos informar sobre aspectos chaves que podem impactar o colaborador no contexto em que se encontra. Essa análise é feita levando em conta as particularidades de sua atividade. Bem como o seu gênero profissional e as suas relações.

Todos esses dados podem ser usados de forma a justificar a criação de políticas de cuidado, prevenção e promoção à saúde emocional.

Quer saber mais sobre o assunto? Então, entre em contato com a gente!

Mariana Cabral

Compartilhe:

Leia em primeira mão

Assine nossa Newsletter

Receba nossas novidades em sua caixa de email. Não enviamos span.

Artigos Relacionados